Economize mudando a modalidade tarifária de sua conta

A troca de modalidade tarifária, juntamente com a mudança de horários de consumo pode ser uma forma fácil de economizar uma quantia significativa na conta mensal de energia. Neste artigo, vamos ver quais os grupos tarifários e quais as opções de modalidade para consumidores de cada grupo. Também explicamos o porquê de existir essa modalidade tarifária. Finalmente, mostramos como usar esse sistema para economizar na conta de luz.

Aqui focaremos nas modalidades tarifárias da COPEL no estado do Paraná em Londrina e região.

Grupos tarifários

Primeiramente precisamos saber a qual grupo tarifário você pertence, pois existem diferenças importantes entre a tarifação dos grupos. A Aneel define dois grupos de consumidores pela tensão que recebem, entre outros critérios. 

Consumidores de alta e média tensão fazem parte do grupo A. Também são desse grupo os consumidores que recebem energia por uma linha subterrânea. Os consumidores de baixa tensão fazem parte do grupo B. Geralmente comércios maiores e indústrias pertencem ao grupo A,  e comércios menores e residências são do grupo B. Mas membros de ambos os grupos podem se beneficiar da mudança de modalidade tarifária.

O grupo ao qual você pertence determina como a sua conta de luz é cobrada. Os consumidores do grupo B pagam uma tarifa chamada monômia, porque pagam apenas o consumo de energia. E os consumidores do grupo A pagam uma tarifa binômia, porque além de pagarem o consumo, eles precisam pagar pela demanda contratada, que é um valor pré estabelecido que representa a potência máxima que você espera consumir. Se esse valor for ultrapassado, será cobrada uma multa.

O que é a modalidade tarifária

Primeiro, precisamos saber um pouco de como funciona a venda de energia, para depois entender o que são as modalidades tarifárias.

Depois de produzida, a energia elétrica não é armazenada de forma significativa por causa das dificuldades envolvidas. Por isso, toda a energia elétrica é consumida no momento em que é produzida. Ao mesmo tempo, quanto mais energia está circulando em um dado momento, mais desgastes ocorrem no sistema. Portanto, quando mais energia elétrica está sendo consumida, geralmente em um horário de pico, a energia tem um custo de produção maior. E esse esse custo é repassado ao consumidor.

A COPEL define o horário de pico das 18h às 21h, de segunda a sexta.

Aqui também entra uma questão de demanda, quando a demanda aumenta, o preço sobe, e quando a demanda diminui, o preço desce.

Como a energia tem preços diferentes em horários diferentes do dia, a conta de energia convencional faz uma média do preço de produção e distribuição de horários diferentes e cobra esse preço único durante todo o dia. Isso apesar de o custo de produção durante os horários de pico ser maior do que esse custo médio, e de horários fora de pico ser menor do que o desse custo médio. Esse sistema acaba incentivando o uso de energia durante horários de pico e é injusto para quem usa mais energia durante horários fora de pico e pouca energia no horário de pico.

Por isso existem as modalidades horárias de tarifa. Essas modalidades possuem preços diferentes para a energia gasta durante horário de pico e a energia gasta no horário-fora-pico.

Quais são as modalidades tarifárias

Existem três possíveis modalidades tarifárias, além das convencionais. Um consumidor do grupo B pode escolher pagar a tarifa branca, onde ele paga menos pela energia gasta fora-pico e mais pela energia gasta em horário de pico.

Um consumidor do grupo A pode escolher entre as tarifas Verde e Azul. Qual a diferença? Lembra que o consumidor do grupo A paga pela demanda contratada? Então, a tarifa Verde possui dois preços pela energia fora e dentro dos horários de pico, e apenas um preço pela demanda contratada, já a Azul possui preços para a energia fora e dentro do horário de pico, mas também possui um preço pela demanda contratada fora e dentro do horário de pico.

modalidades e grupos tarifarios

Quando trocar a modalidade tarifária

Agora sabemos o que são e quais são os grupos e modalidades tarifárias, mas como podemos usar isso? Primeiro, é importante fazer uma análise de consumo, serviço que fazemos na nossa consultoria de eficiência energética. Essa análise identifica o consumo dos equipamentos e os horários de consumo de cada equipamento. Depois de feita essa análise, calculamos o gasto que você teria em cada modalidade.

Às vezes, simplesmente mudar de tarifa não economiza, mas se organizamos os horários que ligamos certas máquinas podemos ter uma economia significativa. Ou talvez não seja possível mudar os horários de maior consumo e seja melhor manter a tarifa convencional. Por isso fazemos a análise e tentamos entender o seu consumo.

Achou interessante a mudança de tarifa? Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a nossa equipe para conhecer mais detalhes.

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Você precisa de ajuda?

Caso você tenha um problema, nós temos a solução! Preencha os formulário abaixo e iremos entrar em contato o mais breve possível.