Como escolher o eletrodoméstico mais econômico?

Quando vamos procurar por um eletrodoméstico buscamos, normalmente, qual a nossa necessidade, quais medidas do aparelho e se ele cabe em nossa casa. Se a geladeira tem duas portas e um freezer, se o fogão tem 4 ou 5 bocas, se a TV tem 40 ou 50 polegadas… enfim, a lista se estende. Mas outro ponto importantíssimo é se o aparelho é barato e cabe no nosso bolso. Afinal economizar é necessário.

Mas, muitas vezes, esquecemos que pagamos até mesmo para manter o aparelho funcionando, e não estamos falando de manutenção, e sim do preço da energia elétrica. Diferentes eletrodomésticos têm diferentes gastos quando estão em funcionamento. Dessa maneira, então, como descobrimos qual eletro é mais econômico e que realmente fará você economizar?

O primeiro passo

Já se perguntou o porquê de haver uma imagem de uma lâmpada sorridente em aparelhos eletrônicos? Esse é o selo Procel, ele indica a eficiência do aparelho baseado na quantidade de energia gasta. Essa eficiência vai de “A” até “E”, ou do verde até o vermelho, sendo o A ou verde o mais econômico, e o E ou vermelho o menos econômico.

A presença dele indica que o produto teve sua eficiência comprovada pelo INMETRO. Assim você pode ter segurança de que aquela informação é verdadeira e escolher o modelo ou a marca que possui melhor eficiência. Mas se atente para a data de fabricação do eletro; às vezes, aparelhos com eficiência A, mas de 2010, podem gastar mais energia do que aparelhos de eficiência B ou C, de 2020.

Para saber qual é esse gasto basta observar no Selo PROCEL a informação “Consumo de energia (kWh/mês)”. Em nosso exemplo esse valor é igual a 16,9. Ou seja, em um mês esse equipamento consome 16,9kWh.

O segundo passo

Claro que, aparelhos mais recentes, são mais caros, por isso, o segundo passo é saber quanto o aparelho gasta por hora. 

Confira também nossa matéria sobre como usar com eficiência aparelhos eletrônicos e economizar em sua casa!

Para saber o consumo do aparelho, fazemos um cálculo básico. Precisamos saber a potência do aparelho. Nota-se, não é o consumo mencionado anteriormente! A potência é medida em Watts [W].

Com o valor da potência, a dividimos por 1000, assim teremos o valor em kW (kilo-Watt). Pegamos esse valor e multiplicamos pela tarifa (que pode ser encontrada tanto na sua conta de luz quanto no site da concessionária de energia local), ficando:

Gasto por hora =  (potência ÷ 1000) x tarifa

Fazendo esta conta, temos o consumo de uma hora daquele equipamento.

Vamos tomar como exemplo as geladeiras Electrolux Frost Free TF55, de R$3579,00 com 49800 watts de potência, e Brastemp BRM44HB Frost Free, de R$2799,00 com 54000 watts de potência (preços de 2021).

Supondo uma tarifa de R$0,50 para o kWh, temos que o preço do kWh da geladeira Eletrolux é R$24,90 e o preço do kWh da geladeira Brastemp é R$27,00.

Realizando essa conta, podemos verificar que, em apenas 33 horas, a diferença do preço do kWh da Electrolux com o preço do kWh da Brastemp cobre a diferença de R$820,00. Assim, a partir deste momento, a Brastemp sairá mais cara do que a Electrolux.

O  caso do ar-condicionado é diferente, visto que ele é medido em BTUs, e não em watts. Mas basta multiplicarmos o BTU do aparelho pela constante 0,293, que temos a quantidade em watts do ar-condicionado.

Quer saber mais sobre eficiência energética e economizar? Leia nosso e-book e veja outras matérias com dicas de como economizar em nosso site!

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Você precisa de ajuda?

Caso você tenha um problema, nós temos a solução! Preencha os formulário abaixo e iremos entrar em contato o mais breve possível.